Fechamento de praias e suspensão de queima de fogos depende do comportamento da ômicron

Escrito em 01/12/2021
Sanny Santana

Informação foi dada pelo prefeito Bruno Reis durante coletiva

Praias poderão ser fechadas e a queima de fogos pode ser suspensa caso as infecções pela variante ômicron avancem. A informação foi dada pelo prefeito Bruno Reis (DEM) durante coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (1º).

“Vou aguardar o comportamento dessa nova variante, para ver se a gente vai fechar as praias, para que as pessoas não utilizem, e também para decidir se vai ter queima de fogos ou não. Como a gente tem um tempo maior para isso, e a nossa postura é de estender ao máximo a decisão”, disse.

Para Bruno Reis, o fechamento das praias pode ser necessário pela dificuldade em conter aglomerações durante a virada do ano nesses locais. O ‘Festival da Virada’, inclusive, já foi cancelado pelo prefeito. Os eventos com até cinco mil pessoas, contudo, permanecerá permitido em locais fechados, desde que sejam seguidos os protocolos sanitários.

As medidas restritivas estão sendo cogitadas após a descoberta da variante ômicron, que causou um alerta no mundo. Detectada primeiramente na Holanda, mas descoberta mundialmente por conta de casos na África do Sul, a cepa já chegou ao Brasil e contabiliza três infectados: um passageiro vindo da Etiópia, que desembarcou no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo; e um casal de brasileiros que moram na África do Sul e foram à São Paulo visitar familiares que residem na Zona Leste da capital paulista.

Diante do cenário, o prefeito Bruno Reis fez um apelo para que a população se vacine, assim, uma quantidade menor de pessoas será infectada.

“É muito importante acelerar o processo de vacinação. Espero que a chegada dessa nova variante sirva para chamar a atenção para alertar as pessoas da importância de irem se vacinar. Nós ainda temos atrasados na vacina de 2ª dose, de dose de reforço, e estamos vendo nesse momento a chegada de uma nova variante, a mutação do vírus, e é importante, mais do que nunca, se vacinar, para caso ela [variante ômicron] chegar em nossa cidade com força, a gente estar preparado”, completou.

Carnaval

Apesar do cancelamento do Festival da Virada, o Carnaval ainda é dito como incerteza para Bruno Reis. “Não há como tomar essa decisão diante do cenário de incertezas, e a gente informou que deixaria chegar ao máximo a data limite, para que a gente pudesse ter uma segurança maior para tomar essa decisão. Hoje, não há como tomar essa decisão. Espero o governador me procurar, para que a gente possa conversar e avaliar os cenários, para ver o que pode ser feito e se pode ser feito”.

Foto: Betto Jr./Secom