Após queda na taxa de ocupação, leitos de Covid-19 são revertidos para outras doenças em Salvador

Após queda na taxa de ocupação, leitos de Covid-19 são revertidos para outras doenças em Salvador

Publicado em 15/09/2020
por Diego Barreto às 22:06

A queda dos números de pessoas internadas com Covid-19 em Salvador permitiu que a saúde pública pudesse viabilizar 165 leitos para pacientes com outras doenças. A informação foi dada pelo governador Rui Costa nesta terça-feira (15), confirmando a disponibilidade de 100 leitos clínicos e 65 na unidade de terapia intensiva (UTI) na capital baiana.

A decisão foi tomada após a ocupação de leitos com pacientes infectados pelo novo Coronavírus registrar 35% na área clínica e 39% na UTI. A flexibilização, no entanto, ainda não ocorrerá nas cidades do interior.

De acordo com Rui, Salvador vive um estágio de desaceleração da doença e os Ernesto Simões Filho e o Couto Maia serão os primeiros a flexibilizar essa reversão de leitos.

“Chegou a hora de reverter esses leitos e atender outras doenças a partir dessa semana. Esperamos que o número de ocupação de leitos caia ainda mais e possamos continuar com o processo de reversão”, afirmou o governador.

No Ernesto Simões, 139 leitos foram reservados para atender pacientes acometidos pela Covid-19. Agora a unidade terá 55 leitos de UTI adulto e 100 leitos clínicos para cirurgias e atendimento a pacientes com outras doenças. Já no Couto Maia, 10 leitos serão liberados – a unidade conta hoje com 70 para clínicos e 90 destinados a UTI.

Desativação de leitos

O Hospital Riversidade, na Região Metropolitana de Salvador, que contava com 110 leitos clínicos, será totalmente desativado e passará por reforma. Além disso, o Hospital Santa Clara, que contava com 59 vagas, seguirá com 15 em disponibilidade para atendimento de pacientes acometidos pela Covid-19.

Já o hospital de campanha montado na Arena Fonte Nova, erguido exclusivamente para tratamento de pessoas infectadas, manterá agora 50 leitos de UTI e 30 de enfermaria. O Pronto-Atendimento exclusivo para atender profissionais da área de saúde, no Rio Vermelho, terá as atividades encerradas por conta da redução da procura de atendimentos.