Após morte de homem negro, lojas do Carrefour são tomadas por protestos contra racismo

Publicado em 21/11/2020
por Elias Alves às 10:59

Após João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, ser asfixiado e morto na noite desta quinta-feira (19) por dois seguranças brancos em uma unidade do supermercado Carrefour, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, dezenas de grupos de movimentos sociais organizaram protestos na unidade e em outras cidades.

Em uma unidade do supermercado na Rua Pamplona, São Paulo, uma loja foi depredrada e queimada. No dia da consciência negra (20), diversos grupos já realizaram marchas na cidade, por causa da morte, a caminhada foi direcionada a unidade.

Em outras cidades como Rio de Janeiro e Belo Horizonte, diversos manifestantes ocuparam lojas da Carrefour pedindo o fechamento das unidades.

O crime de racismo que resultou na morte de João Alberto Silveira Freitas, homem negro, gerou mobilização na internet e rapidamente se tornou um dos assuntos mais comentados do Brasil.

Foto: Leo Orestes/Reprodução